segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Descontinuidade forçada

-
Meus amigos, é com pena que vos digo que não tenho conseguido acompanhar regularmente as últimas semanas da vida do nosso clube. É uma descontinuidade que não me agrada, mas que será resolvida assim que esteja despachada uma série de afazeres que têm sido absolutamente prioritários.
Ontem estive a sofrer à distância através da rádio e, daquilo que pude ouvir, fiquei com a sensação que ontem tivemos tudo para conseguir finalmente (e pela primeira vez esta época) uma série de duas vitórias consecutivas. Mas parece que o azar nos persegue: se umas vezes é a escassa e perdulária concretização, outras é o guarda-redes que cede um frango com um defesa a ajudar à festa. E tudo isto num fatídico último minuto que significou - tão somente - a perda de uma vantagem (2-1) que teria segurado três pontos capitais.
-
-
Atenção... são coisas que acontecem. Mas cumprida que está a 20.ª jornada, não pára de crescer a extensa lista de azares em muitos embates em que fomos visivelmente superiores. Não nos adianta de nada lamentarmo-nos. E já perdemos a conta aos jogos bem conseguidos com pontos desperdiçados. Semana a semana, urge alcançar a pontuação necessária para que naveguemos até ao fim... sem grandes ambições, é certo (ou pelo menos sem nenhuma outra ambição que não a de conseguirmos um lugar o mais digno possível)... mas com a tranquilidade necessária para no fim do campeonato não sermos apanhados de calculadora na mão a fazer contas aos pontos que, por uma razão ou outra, nos foram escapando. O próximo duelo vai ser difícil. A deslocação aos Açores marca o reencontro com um Santa Clara que, com justiça, nos derrotou (e quase nos derreteu) na primeira volta, e que continua a precisar de pontos para não se perder dos lugares da frente onde agora figura uma improvável União Desportiva Oliveirense que, estou convencido, vai começar a distanciar-se da dupla de líderes... mais jornada, menos jornada. Ou seja: o Santa Clara x Varzim do próximo fim de semana é um embate entre duas equipas que, por razões distintas, necessitam - e de que maneira - dos três pontos em jogo. Justamente na altura em que a Liga Vitalis entra no último terço... a mais decisiva de todas as fases. A pressão aumenta! E os pontos são 'como pão para a boca'. Agora, mais do que em qualquer outra altura, começa a não haver margem para falhar.
-
Foto: Póvoa Semanário
-

4 comentários:

lobos do mar disse...

RUI BARROS: um "europeu" na Póvoa

Veja mais em:
www.adeptosdovarzim.blogspot.com

E faça o seu comentário


Saudações Varzinistas

Anónimo disse...

Parece-me que até os próprios arautos da desgraça agora que os jovens da equipa t~em provado que têm valor,nunca mais comentaram ou seja só comentam para dizer mal e agora estão adormecidos no entanto nunca o Varzim correu tanto risco de fechar as suas portas,á jogadores e equipa técnica que não recebem vai para cinco meses,como é possível sobreviver. Portanto cada vez o nosso clube se afunda mais e ninguém apresenta alternativas e nem dão a cara aos atletas.como disse nunca o Varzim esteve tão perto de fechar as portas .

Anónimo disse...

Estes seguidores do varzim esquecem-se dessas dificuldades que toda a familia «funcionarios do clube» estao a passar. agora os jogadores sao os maiores os lutadores dentro das quatro linhas e quando a bomba rebentar???? novamente dentro do balneario...
Isso náo deve demorar muito.

Anónimo disse...

Mais uma vez parece que a Câmara roeu a corda e já não vai haver pagamentos.

O Macedo é tão Varzinista que está mais uma vez a sufocar o clube.

Já veio nos jornais que o Varzim não cumpriu outra vez com o pagamento e chegou-me ao ouvido que o Macedo mais uma vez fez das suas.

Abri os olhos porque tenho a impressão que o clube vai mesmo fechar portas e um dos coveiros é o Sr. Presidente da Câmara que é um grande Varzinista.